Iaiá

"Em 2010 me mudei de SP e fui morar em Sorocaba com minha avó e tia. Desde 2010 até 2011 tive a chance de acompanhar a linda vida dela e ver ela ao mesmo tempo adoecer. A cada dia contava várias histórias e me ensinava a ser mulher e honrada. Em julho de 2011 ela veio a falecer. Após a morte dela, passei 3 meses atônita na casa dela sem saber o que fazer. Foi quando veio a ideia de tatuar algo que a lembrasse e que fizesse com que ela estivesse comigo pela eternidade, além de levá-la no pensamento e coração. Em novembro me tatuei e a partir desse dia, em que ela veio para a minha pele, minha essência parecia estar preenchida e sai daquele estado. Hoje sinto orgulho de levá-la comigo por ai todos os dias."

Iaiá